1619414_745593735485510_3312508233454227779_n

O prefeito ACM Neto (DEM), que coordenou o longo processo de escolha do candidato da chamada “união das oposições”, anunciou oficialmente, na manhã desta segunda-feira (14), o nome do ex-governador Paulo Souto (DEM) como representante do grupo antipetista nas eleições estaduais deste ano. No auditório lotado do Sheraton Hotel, no Campo Grande, ao lado de lideranças das três principais siglas da coligação – DEM-PSDB-PMDB – e aos gritos de “ô, ô, ACM voltou” pelo público presente, o democrata reiterou que a campanha será baseada em analogia com a atual gestão do PT e indicou a imagem que será trabalhada no seu correligionário. “Não temos medo de nenhum tipo de comparação. Paulo Souto é um homem honrado, que governou a Bahia duas vezes, mostrou sua competência, sua capacidade de gestão e como um homem público pode servir à sua terra. Paulo Souto não tem só que se honrar de tudo que realizou nos dois períodos em que esteve à frente do Estado. Ele chega para olhar para frente e construir o futuro”, exaltou Neto. Ele ainda citou o exemplo da sua corrida eleitoral à prefeitura, em 2012, para criticar o discurso de ser “imprescindível o alinhamento” com o governo federal e acusou o PT, indiretamente, de “espalhar a política do medo por toda a cidade” na campanha do seu adversário Nelson Pelegrino. ACM Neto citou também que, após chegar ao Palácio Thomé de Souza, buscou “inspiração” em Souto, que coordenou a transição municipal. “Muitas das ações que realizamos hoje na prefeitura foram discutidas, debatidas e produzidas por Paulo Souto, pela sua criatividade e capacidade de se renovar a cada dia. É um homem à frente do seu tempo”, definiu. Antes de exaltar o ex-governador, o prefeito soteropolitano agradeceu ao “desapego” do postulante a senador Geddel Vieira Lima (PMDB) e João Gualberto (PSDB) – que aspiravam ser governador e vice, respectivamente –, e classificou o presidenciável tucano Aécio Neves como o “homem que transformou Minas Gerais”. ACM Neto disse que o mineiro acompanhou “de perto” o trabalho de articulação que garantiu a unidade das siglas e rotulou o processo como fruto de “competência, paciência e sorte”.

Bahia Notícias