lucy-esteves

Ao usar um alvará com assinatura falsa para sacar R$ 30 mil na Caixa Econômica Federal, a assessora do deputado Zeca Dirceu (PT-PR), Lucy Mary Silvestre Esteves, foi presa em flagrante nesta sexta-feira (23), pela Polícia Federal do Paraná. O documento falsificado estava em nome do juiz Mário Augusto Perroni, e seria usado para um suposto pagamento de ordem judicial. Segundo o delegado Rogério Lopes, chefe da Divisão Policial do Interior, da Polícia Civil paranaense, não há indícios do envolvimento do deputado, filho do ex-ministro José Dirceu. Em nota, emitida após a prisão, Zeca Dirceu anunciou a exoneração da assessora. “Lucy Steves, que exercia a função de telefonista há um ano, já foi exonerada. Se a funcionária cometeu ilegalidades, fez fora do escritório e sem o conhecimento da equipe”, disse no comunicado, no qual afirma desconhecer o suposto esquema de fraude usado para fazer saques na Caixa. A apuração do caso está sendo feita em conjunto pelas polícias Civil e Federal e Lucy Mary está detida em uma carceragem da Polícia Civil de Umuarama, no interior do Paraná. Quando foi detida, ela afirmou ser contratada pela Câmara dos Deputados, mas prestadora de serviços ao escritório do parlamentar de Umuarama. A filha de Lucy Mary, Daniele, trabalha no fórum de Alto Periqui, onde também atua o juiz, que negou ter assinado o documento, ao ser contatado pelo gerente da agência, que desconfiou da ordem de pagamento apresentada. “Foi constatado que a ordem judicial era falsa e a senhora Lucy Mary foi presa em flagrante ao retirar o dinheiro. Recolhida e autuada no artigo 171, foi encaminhada para a carceragem de Umuarama. Ao ser ouvida lá, admitiu que não é primeira vez que faz saques com alvarás judiciais falsas conseguidas pela filha”, explicou o delegado. Com informações do jornal O Globo.

Bahia notícias