Eduardo jorge - PV

As diretrizes programáticas do Partido Verde ainda permanecem sem abrigo certo no cenário pré-eleitoral baiano. Contudo, os verdes intensificam a movimentação da pré-campanha ao Palácio do Planalto, do ex-deputado Eduardo Jorge. Em visita à Tribuna, nessa sexta-feira (16), o postulante a presidente, que é baiano, apontou a necessidade de “mudanças severas” no Congresso Nacional e nas políticas públicas. Segundo o pré-candidato, o país vive em momento de “grave crise política”, o que motiva a “irritação” da população e as manifestações nas ruas. A convenção partidária será em 14 de junho. Além de apostar no foco do “desenvolvimento sustentável”, Eduardo Jorge levantou as propostas para a reforma política, como um número menor de parlamentares federais, o fim da verba de gabinete e a extinção do Senado, pois, segundo ele, a Câmara de Deputados já garante “o caráter federativo no Legislativo”. “O Congresso está obeso. Tem que enxugar”. Nas áreas de saúde e educação, uma das propostas é a oferta do planejamento familiar, com a opção de esterilização voluntária. “O PV não só fala de rios, das florestas. Continuamos campeões dessa causa, mas temos a consciência também que o verdadeiro desenvolvimento sustentável vai se expressar em todas as políticas públicas. Não é uma ditadura do verde”. Um dos fundadores do PT, sigla da qual se afastou em 2003, Eduardo Jorge reconhece que houve melhorias nas políticas públicas ao citar os governos de Itamar Franco, Fernando Henrique, e dos petistas Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma. “Mas o povo quer mais”.

 

Tribuna da Bahia