xIMAGEM_NOTICIA_5.jpg.pagespeed.ic.cqWd9OwGa0

Em postura indiferente aos recentes problemas enfrentados pela presidente Dilma Rousseff (PT) no cenário político nacional, seu antecessor, Lula (PT), disse nesta terça-feira (22) “estar por fora” dos escândalos sobre contratos suspeitos e pagamento de propina na Petrobras. O petista deu a declaração em Salamanca, na Espanha, onde recebeu título de doutor honoris causa. Questionado sobre suposto mal-estar com a aliada, gerado pela possibilidade de criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) a respeito da estatal, ele afirmou que “não há possibilidade” de tensão com o atual governo. Na semana passada, o secretário de Planejamento da Bahia, José Sergio Gabrielli, que presidia a petrolífera na época da compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, afirmou ao jornal O Estado de S. Paulo que Dilma “não pode fugir de sua responsabilidade” sobre o negócio suspeito. Por suspeita de superfaturamento, a transação é investigada pelo Tribunal de Contas da União, Ministério Público Federal do Rio de Janeiro e Polícia Federal.

Bahia Notícias