images-cms-image-000369436O pronunciamento da presidente Dilma Rousseff feito em cadeia nacional de rádio e TV na noite desta quarta-feira 30, pelo Dia do Trabalhador, foi criticado horas depois pelo principal adversário de Dilma nas eleições, senador Aécio Neves (PSDB). Para ele, o discurso de Dilma “representa o desespero de um governo acossado por sucessivas denúncias de corrupção e uma presidente da República fragilizada pelo boicote da sua própria base”.

Em seu discurso, a presidente fez ampla defesa de seu governo, em especial da Petrobras, e cutucou a oposição ao dizer que não vai ouvir calada “campanha negativa” contra a empresa. Dilma defendeu ainda o “combate incessante e implacável” contra a corrupção e garantiu que, por mais que a exposição de alguns fatos causem indignação e revolta, “isso não vai nos inibir de apurar mais”, lembrando que no passado, já foi assim.

Na avaliação de Aécio, Dilma usou o espaço da mídia, “um instrumento de Estado”, para “fazer campanha política e atacar os adversários”. O tucano acrescenta que “certamente orientada por seu marqueteiro, a presidente tenta, como se fosse possível, encarnar o atual sentimento de mudança existente no País”, mas alerta para o fato de que a mudança que exige 70% da população, segundo ele, não inclui a permanência de Dilma no poder.

Brasil 247