Teixeira de Freitas: O dia amanheceu já movimentado no centro da cidade. Segundo os feirantes a prefeitura os está proibindo de trabalharem. Na manhã desta sexta-feira (25), 8 mulheres e 5 homens foram até o deposito para pegar as frutas para vender como de costume, chegando ao local, guardas municipais não permitiram e segundo os feirantes, ainda os agrediram. Diante da situação, os feirantes prejudicados, fizeram bloqueio com pedras, carrinhos de madeira, e corda humana para que os veículos não pudessem passar nos semáforos da Av. ACM e da Marechal Castelo Branco, onde provocou congestionamento e muita chateação.


“Se a cidade passa hoje por essa situação, é por falta de estrutura mesmo, impedindo dessas moças e rapazes trabalharem, estão obrigando elas irem para prostituição e eles para as drogas, a prefeitura teria que conseguir uma solução, e não chegar, quebrando carrinho, agredindo os meninos, os guardas na maior estupides, o caminho não é este”, desabafa o feirante Otevalto Rodrigues Araújo.


Exigindo a presença do prefeito, trabalhadores irão continuar com a manifestação até aparecer algum representante. “O que queremos é a presença do secretário Henrique e do prefeito João Bosco, precisamos trabalhar, temos família, aguardamos um representante. Desde cedinho estamos esperando, e ninguém apareceu para conversar, apenas os guardas nos agredindo”, disse Estela Pereira da Silva, também feirante.


Nossa equipe conversou no local com o Comandante da Guarda Municipal, Gilson Vieira Silva, e segundo ele, estavam apenas cumprindo determinações do secretário, onde o objetivo é tirar essas pessoas que vendem frutas nas ruas, e manter apenas no mercado municipal, onde já tem um espaço reservado. Ainda salientou que todos foram notificados há 30 dias, estavam cientes que não poderiam mais trabalhar na rua,
obstruindo as calçadas. E que em seguida iriam até a delegacia para registrar queixa, já que seus guardas foram agredidos.

A polícia militar tentou conter o movimento, e solicitou que desobstruísse o trânsito. Mas, sem sucesso, os manifestantes continuam com o bloqueio no semáforo da Avenida Marechal castelo Branco.

MATÉRIA: LIBERDADENEWS