unnamed

O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, afirmou nesta quarta-feira (22/10), em Belo Horizonte (MG), que “ignora” os ataques do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Para ele, a agressividade do petista é “triste para sua biografia”.

“Só quem perde com isso é ele [Lula]. [O ex-presidente] apequena sua biografia com ataques torpes e absurdos”, acrescentou Aécio, reagindo às comparações feitas por Lula entre tucanos e nazistas. Lula, durante comício no Recife, disse que “parece que estão agredindo a gente como os nazistas agrediam no tempo da Segunda Guerra”.

“O Lula não está disputando a eleição, apenas ignoro. Eu lamento apenas que um ex-presidente da República se permita cumprir um papel tão inexpressivo como esse que ele vem cumprindo no final dessa campanha eleitoral”, destacou.

Verdades

O candidato afirmou também que reagirá à campanha de mentiras do PT apresentando propostas e verdade. Para ele, os eleitores é que definirão como querem ver o Brasil no futuro - com base em verdades ou na infâmia.

“Deixo que pessoas respondam nas urnas a todas essas infâmias. A minha campanha é a da verdade. A minha campanha é a da responsabilidade. É uma campanha que busca mudar o Brasil para todos os brasileiros”, disse Aécio. “Se o Brasil quiser algo novo, algo vigoroso, algo correto, algo respeitoso, a minha candidatura está aí, à disposição de todos.”

Aécio afirmou ainda ser vítima de ataques apócrifos em cartazes, jornais e outros materiais de campanha pelo país. “Hoje mesmo são boletins e jornais apócrifos, anônimos, sendo distribuídos em todo o Brasil, exatamente dando a ideia de que nós poderíamos estar indo na direção da diminuição e do fim dos nossos programas sociais ou da privatização de bancos públicos”, afirmou ele.

O candidato reiterou seus compromissos em ampliar os programas de transferência de renda, como o Bolsa Família, e o fortalecimento das instituições públicas e valorização dos servidores. “Esta campanha vai ficar marcada na história do Brasil como a campanha da infâmia por parte dos nossos adversários”, ressaltou Aécio.