DSC_0657

Em fase final de arrumação dos apoios partidários nas bases das três pré-candidaturas ao governo baiano, a direção a ser tomada pelo PV ainda é uma incógnita. Aliados do prefeito da capital baiana, ACM Neto (DEM), os verdes já definiram que irão seguir na linha de oposição ao governo estadual, mas ainda não se demarcaram a tendência de caminhar na corrente do postulante Paulo Souto (DEM), já que parte da sigla se seduz na proposta de integrar a chapa da pré-candidata socialista Lídice da Mata. Nesta sexta-feira, o pré-candidato a Presidência da República pelo PV, Eduardo Jorge, estará em Salvador, onde deve promover algumas atividades e se reunirá com membros da Executiva estadual. Consta que uma movimentação pró Lídice teria provocado insatisfações na direção da Executiva nacional, que desejaria ampliar as alianças regionais com o DEM. Há quem diga que teve recado duro contra a direção estadual, mas não houve confirmações. O certo é que o partido vem há mais de dois meses discutindo sem pressa. Os verdes chegaram a cogitar a possibilidade de lançar um nome ao Palácio de Ondina, sendo um dos mais cotados o da vice-prefeita de Salvador, Célia Sacramento, mas decidiu chancelar a ideia de se unir a uma das composições no estado para a corrida de 05 de outubro. Agora querem debater os critérios para chegar a um ponto final de discussão. Segundo o presidente estadual do partido, prefeito do município de Licinio de Almeida, Alan Lacerda, não há prazo para esse fechamento, mas há indicativos que até o final do mês eles cheguem a um posicionamento em comum.

Política Livre