fort

 

Uma senhora com câncer tentou marcar um exame pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em Fortaleza, no ano de 2011. Após três anos, a data do exame foi confirmada para o dia 26 de junho. Mas Maria de Fátima dos Santos Silva, 58 anos, morreu em 2012, vítima justamente do câncer.

Segundo reportagem da Band, a confeiteira, no início do tratamento, viu o médico requisitar que ela fizesse uma tomografia computadorizada do tórax. A autorização para fazer o exame, no entanto, só chegou na casa dela no início deste mês, mais de 2 anos depois que Maria de Fátima faleceu.

A situação deixou a família revoltada. “Muita falta de respeito. A minha mãe passou muito tempo esperando esse exame”, desabafou uma das filhas da confeiteira, Flaviana, que classificou o caso de “descaso”. “Além da dor da gente ter perdido minha mãe, eu senti outra dor de ter visto isso aqui (correspondência confirmando exame)”. “Se tivesse feito logo, quem sabe se o médico não teria olhado alguma coisa…”, diz, emocionada, a filha.

Correio 24 horas