962dc47163683fcca2ec80ad3cc7b836

O deputado federal Jutahy Magalhães (PSDB) lamentou que o novo presidente da Petrobras, Aldemir Bendini, escolhido pela presidente Dilma Rousseff só tenha como credencial o fato de ser petista e a missão de tentar acobertar e blindar os governos Lula e Dilma Rousseff em “relação a toda a gigantesca teia de corrupção praticada em suas administrações na Petrobras”. “Trata-se de um gestor cheio de problemas já no Banco do Brasil, que está sendo questionado pelo Ministério Público por empréstimos privilegiados, cujo caso mais notório é o da socialite Val Marchiori, que recebeu empréstimo de R$ 2 milhões, subsidiado, sem nenhuma garantia”, disse Jutahy, lembrando que o novo presidente sinaliza que nada vai mudar em relação ao futuro da empresa, a qual precisa urgentemente restabelecer sua confiança.

“Posso afirmar com absoluta convicação de que dias terríveis a empresa vai passar em relação a seus financiamentos e renegociação de suas dívidas de curto e médio prazo. Esta dupla, formada por Bendine e Guido Mantega como presidente do Conselho, mostra que os petistas estão pouco se importando com o futuro da empresa, mas estão apenas preocupados em limpar a cena dos crimes praticados”, afirma Jutahy, observando que o novo gestor da estatal tinha que ser um gestor com confiabilidade no mercado para já anunciar o que será uma nova Petrobras, “porque a atual foi assassinada por corrupção, incompetência e atraso ideológico”.

Informações: Política Livre